Sou responsável pelo meu sucesso?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sou responsável pelo meu sucesso?

Mensagem  Admin em Dom Mar 02, 2008 6:48 am

Diante das crescentes transformações que surgem no mercado e da busca das empresas pela modernização, há a exigência de que seus profissionais tenham um alto grau de escolaridade e conhecimento. Que possuam várias habilidades e competências, dentro de um processo constante de atualização e reciclagem, a fim de manter a sua empregabilidade.
Todos os dias acontecem evoluções tecnológicas, científicas e conceituais. Estas mudanças ou inovações afetam profundamente as organizações. Esta instabilidade mercadológica exige que os profissionais se conscientizem de que não basta mais ser um empregado fiel e disciplinado. Não é suficiente cumprir horários e desempenhar suas tarefas rotineiras com perfeição, mas é preciso ter diferenciais, acompanhar as mudanças organizacionais e ter atratividade para o empregador.

As empresas valorizam profissionais com iniciativa, flexibilidade e com diversas habilidades; exigem um alto padrão de qualificação e desempenho. A mão-de-obra torna-se uma vantagem competitiva primordial para manter a empresa no mercado. Desta forma, observa-se que as empresas procuram profissionais qualificados, muito além do suficiente, para fazer parte de seu quadro funcional, de modo a torná-las competitivas.

A autogestão da carreira tem um papel importante neste contexto. Ainda encontramos profissionais que delegam suas carreiras à empresa. Aguardam por treinamentos, programas de desenvolvimento, cursos e incentivo à educação. Assim, se a organização passar três anos sem oferecer nada, este profissional ficará por este mesmo período desatualizado e, possivelmente, ainda culpará a empresa pelo seu fracasso profissional. É preciso reconhecer que há muita gente buscando vagas e que as empresas buscam sempre os melhores e mais bem preparados, descartando aqueles que ficam estagnados.

Nos tempos de hoje os profissionais de sucesso investem em suas carreiras. Eles têm consciência sobre sua responsabilidade no sucesso ou fracasso. Independente de estar empregado, ele procura desenvolver seu “produto” e depois o oferece às empresas; estas decidem ou não comprá-lo. O perfil do profissional generalista é o que se busca. Aquele que possui a visão do negócio e das diversas áreas das organizações, pois tudo está interligado.

O emprego vitalício, aquele que garantia a estabilidade profissional dentro de uma única organização, está desaparecendo. Os profissionais, cada dia mais, devem estar atualizados e aprimorando suas competências. Os empregos estão sofrendo alterações quanto ao seu perfil, devido à implantação de horários mais flexíveis, terceirização de serviços, parcerias, entre outros. Isto exige que o profissional tenha flexibilidade e facilidade de adaptação, bem como saiba desenvolver múltiplas habilidades, para se manter empregado.

É importante observar no dia-a-dia oportunidades de desenvolvimento, como por exemplo: atender diretamente um cliente para conhecer sua visão em relação aos produtos e valores; conduzir reuniões, dirigir grupos e/ou associações; fazer esportes em grupo, enfim, tirar proveito de todas as situações possíveis. Há uma frase, da qual gosto muito: “a sorte é o encontro da oportunidade com a competência”; e me parece o relato real de que o sucesso não cai do céu.

No livro Empregabilidade: como ter trabalho e remuneração sempre, Minarelli relata, muito claramente, que a carreira é de responsabilidade do profissional e ele é quem deve administrá-la. É a ele que pertence o controle, a avaliação e a busca por melhores empreendimentos na qualificação. O autor descreve que a empregabilidade é sustentada por seis pilares: adequação vocacional, competência profissional, idoneidade, saúde física e mental, reserva financeira e fontes alternativas e relacionamentos.

Com certeza muitos leitores devem ter o seguinte pensamento: mas para eu conseguir ter sucesso, preciso ter dinheiro para investir em ótimos cursos e especializações para aprimorar meus conhecimentos. Acredito que isto é fundamental para o sucesso de uma carreira, mas hoje temos acesso fácil à informação e conseguimos adquirir muito conhecimento e estar atualizado via Internet.

Se o que escolheu para sua carreira é o que ama de paixão, isso faz com que a vontade de ir atrás, ter iniciativa e não esperar por nada e ninguém, aconteça. A caminhada no parque, a alegria, a consciência pela importância de qualidade de vida garantem uma boa saúde. As participações em fóruns, associações, grupos de profissionais, congressos, além de proporcionarem conhecimento, aumentam e fortalecem redes de relacionamento. Somando todas estas atitudes, a conseqüência é a empregabilidade. É preciso compreender que não basta ter o pensamento de sobrevivência, mas de crescimento constante.



Camila de Paula Paz Leme
Graduada em Administração pela Universidade Estadual de Londrina, Especialista em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional pelo INBRAPE/FECEA.

Fonte:
http://www.rh.com.br/ler.php?cod=4968&org=9

Admin
Admin

Mensagens : 25
Data de inscrição : 14/01/2008

Ver perfil do usuário http://alexandremoura.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum